O protagonista de Egomaníaco, de Vi Keeland, não tem nada de autocentrado

Comecei a ler Egomaníaco, da Vi Keeland (Editora Charme) pensando que seria mais um daqueles romances fofinhos onde o cara é arrogante, a mulher tem personalidade forte,  e no fim das contas, eles acabam cedendo e vivendo felizes para sempre (Nada contra! Aliás, adoro esse formato). É mais ou menos isso, não vou negar, mas…