Diário de uma Volátil tem uma pitada cômica de vida real

Gosto de quadrinhos e, atualmente, tem uma onda de cartunistas que escrevem histórias autobiográficas com a ajuda de ilustrações. Então vem conhecer O Diário de uma Volátil, da Agustina Guerrero.

O legal de ler esse tipo de história é que você não se sente mais sozinha, sabe? Quando Agustina fala que tem preguiça de tirar maquiagem, desfazer as malas, encher forma de gelo, você pensa: eu também! Quando ela mostra que o senso de direção é uma piada, dá aquele estalo na sua mente e você se lembra de ficar girando em volta durante a viagem de férias. Ou até com coisas mais simples, como sempre dá coceira depois de fazer a unha.

diario de uam volatil capa

Sem contar que é engraçado! As cenas dela na vida real, no dia a dia, com o boy… Difícil quem não tenha vivido situações parecidas. Daí rola uma identificação nova em cada página — e uma risadinha também.

Esse é um daqueles livros que você lê sem nem sentir. Quando viu, já acabou. Tem coisa melhor?

Conheça Acre, uma história de amor, crimes, ciúmes e insegurança

Posso começar esse texto dizendo, logo de cara, a sensação que tive lendo Acre, de Lucrecia Zappi? Pra mim, é um Dom Casmurro moderno. A obra, publicada pela editora Todavia, é ideal para aqueles que curtem clássicos nacionais. Anote aí: merece um lugar na sua estante.

A trama é narrada por Oscar, um jovem paulistano que se mudou pra Santos (por opção dos pais, não dele) quando era adolescente. Na cidade litorânea conheceu Nelson, um surfista com o qual se estranhava (e apanhou certa vez), e Marcela, uma menina que ele achava linda, mas que na época, tinha outro namorado.

Vida vai, vida vem, Oscar se casou com Marcela e terminou morando no apartamento vizinho ao da mãe do Nelson — sem saber. Quando o ex quase amigo foge do Acre e volta pra São Paulo e se torna seu vizinho. Nem preciso dizer o tamanho da surpresa.

acre

Marcela namorou com Nelson anos atrás, e a narrativa é construída de uma forma que te deixa em dúvida se há realmente algo rolando entre os dois — já que as escapadelas da moça com o novo vizinho não são disfarçadas — ou se é só encanação do marido que nunca se deu bem com o novo morador do prédio e se sente inseguro. Isso tudo misturado a crimes, cenas de preconceito e acontecimentos cotidianos que todos vivemos.

A vida desse trio pode ser capaz de prender sua atenção por 208 páginas. Depois que acabar, lembre-se de me contar o que achou!